Dica do Professor 05 – Composição: Desequilíbrio

2ª parte do curso de férias na Dica do Professor! Seu canal de discussão de ilustração e desenho da Pandora Escola de Artes.

Continuamos hoje, a série em duas partes sobre composição, falando sobre pesos e equilíbrio na ilustração. Na semana passada, definimos o que interfere nos pesos de uma composição e como trabalhar com o equilíbrio desses pesos.

Cada cena, cada história que escolhemos narrar com imagens tem sua melhor maneira de ser contada. Então, hoje mostraremos como um desequilíbrio na composição pode ser útil para contar uma história.

Sabendo que cada elemento desenhado ocupa um espaço e, dessa forma tem um peso dentro da composição, observe a ilustração:

Arte_01_Original

“A vida está lá fora”
Mario Cau
2012

Na imagem, o professor da Pandora Escola de Artes e ilustrador da premiada adaptação de Dom Casmurro em quadrinhos, Mario Cau, criou uma cena dramática, trabalhando muito bem com sombras e uma paleta de cores econômica, contrastando o alaranjado (quente) e os cinzas azulados (frio). A composição se organiza pelas áreas claras, que se espalham pela cena se repetindo e criando um ritmo em sua distribuição. O maior peso da composição (figura humana) está deslocado para a esquerda em relação ao centro da ilustração, como mostra o eixo de simetria no diagrama abaixo:

Arte_02
No lado direito da ilustração, não há formas claras o suficiente para que os pesos (esquerda e direita) se equilibrem. Esta composição desequilibrada tem uma razão para ser assim, isso se explica na história contada na imagem. A cena conta uma história de ficção científica ao estilo do filme Matrix (1999), na ilustração, o personagem despertou de algum tipo de sono em uma cápsula e está de pé, olhando para o horizonte que acabou de descobrir. Do lado direito da figura humana (frente do personagem) há, portanto, mais espaço vazio do que o lado esquerdo (costas do personagem), este desequilíbrio dá uma sensação de que o personagem olha para um espaço mais vasto, um horizonte maior:

Arte_03
Se o ilustrador tivesse posicionado a figura humana no centro da ilustração, ela não só esconderia boa parte desse horizonte, como sua posição daria a sensação de um horizonte menor ao fundo:

Arte_04
Percebemos que o desequilíbrio da composição, neste caso, ajudou a narrar melhor a cena criada pelo artista.

Vimos hoje e veremos cada vez mais aqui na Dica do Professor, que em arte cada vez menos podemos falar em certo e errado, conceitos como esses servem na maioria dos casos para limitar a criatividade de um artista ou ilustrador. Preferimos substituir certo e errado por funciona ou não funciona para o que eu quero fazer. Esta é a ideia mais importante da dica de hoje.

Para os mais curiosos, resta ainda dizer que esta dica nos lembra de uma importante tradição da pintura/imagem, mais especificamente do retrato. É comum que sempre tenhamos mais espaço de respiro na composição para o lado em que a cabeça da figura está virada de frente, como notamos nos exemplos abaixo:

Arte_05
Interessante, não é? Pelo mesmo motivo que estudamos na ilustração de hoje, este espaço maior de respiro ajuda na composição e deixa a figura menos sufocada no corte da imagem. Aproveitem esta dica em seus desenhos e estejam atentos para isso nas próximas imagens/ilustrações/pinturas que vocês virem! Não se esqueçam de acompanhar nosso blog e sigam-nos no Facebook para mais dicas semanalmente.

Abraços, e até a próxima!
Vitor Gorino

...Shares
Esta entrada foi publicada em Dica do Professor. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta