A Turma 5 de Ilustração de Mercado se formou!

Parabéns a todos vocês!

Foram muitos projetos, briefings, debates, puxões de orelha e, acima de tudo, muito aprendizado.

Uma etapa muito importante foi concluída, mas ainda marca o início da jornada profissional.

Desejamos a vocês muito sucesso nos novos desafios! A exposição de conclusão de curso já pode ser apreciada na escola e aqui também!

 

JÁ TEM EXPERIÊNCIA COM DESENHO E QUER FAZER PARTE DA PRÓXIMA TURMA?

As inscrições estão abertas para o processo seletivo da Turma 6, com início em abril!

Agende sua avaliação de portfolio pelo e-mail atendimento@escolapandora.com.br ou pelo telefone 19 3234-4443

Para saber mais sobre o curso, ACESSE AQUI!

 

...Shares
Publicado em Noticias | Com a tag , , | Deixar um comentário

Conseguimos!!

Cada dia de estudo, cada noite mal dormida, cada “não consigo”, se tornaram “EU CONSEGUI!!!”

Parabéns galera, passaram no vestibular 🙂
#ArteSe #vestibular

Conseguimos

...Shares
Publicado em Noticias | Deixar um comentário

Parabéns!

Uhuuu!! Olha só quantos alunos passaram no vestibular neste ano!! Parabéns!!!

Alicia Toledo Potenza – Arquitetura – USF

Bia Carvalho Costa Santos – Arquitetura – PUC

Mariana Oliveira – Arquitetura – PUC

Debora Panzarin Aoki – Arquitetura – USP

Laura Andreli Figueiredo – Arquitetura – UNESP

Julia Pighini Bonavita – Arquitetura – PUC

Beatriz Massarelli – Artes Visuais – PUC / Belas Artes

Bruno Fontolan Silveira – Arquitetura – PUC

Kenzo Furumoto de Oliveira – Arquitetura – UNESP

Jade Celestino de Oliveira – Arquitetura – UNESP

Carolina Meira Haach – Arquitetura – UNESP

Giovanna Batista Gonçalves Melo – Arquitetura – PUC

Vanessa de Oliveira Vianna Zaccarias – Arquitetura – PUC

Sofia da Luz Castilho – Arquitetura – PUC

Isabela Guimarães Slywitch – Arquitetura – PUC/ UNESP

Maria Luiza Mardegan Igarashi – Arquitetura – PUC

Tamires Mayumi Ishiko – Arquitetura – PUC/ UNESP

Gabriel Basso Mendes Silva – Arquitetura – PUC

Rogerio Prado Murijo – Design – UNESP

Ana Carolina Pelicer – Arquitetura – PUC

Camila Valbert – Arquitetura – PUC

Carolina Xavier Pinto de Souza – Arquitetura – PUC

Ivo Lage Lamas – Arquitetura – PUC

Larissa Namie Higa – Arquitetura – PUC

Laura Maria Martins – Arquitetura – PUC/ UNESP

Luiza Simionatto Budahazi – Arquitetura – PUC

Marina Trotti Veronezzi – Arquitetura – PUC

Julia Marchioretto – Arquitetura – PUC/ UNESP

Nicolle Gorayb Correa – Arquitetura – PUC

Hiago Jose Ferreira Gaspari – Artes Visuais – PUC

...Shares
Publicado em Noticias | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Kirby é 100!

Capa

2017 marca o centenário de um gigante cósmico da narrativa gráfica: Jack Kirby. Se ainda estivesse entre nós, ele muito provavelmente não apenas faria uma dobradinha com Stan Lee em participações especiais nos filmes baseados em personagens da Marvel comics, mas também apareceria nos filmes da concorrente DC Comics, já que algumas de suas criações são pilares fundamentais também desse universo fictício.

Continue lendo

...Shares
Publicado em Noticias | Com a tag , , , , , , , , , , , , , , , | Deixar um comentário

Dia do Artista Plástico

No dia 8 de maio é comemorado em todo Brasil o Dia do Artista Plástico. Oficializada em 1950, a data remete ao nascimento do pintor José Ferraz de Almeida Junior, personagem fundamental no desenvolvimento da arte em nosso País.

Nascido em 1850 em Itu, no interior paulista, Almeida Junior ficou conhecido como o primeiro artista plástico brasileiro a retratar nas telas o homem do povo em suas tarefas cotidianas. Passou pela Academia Imperial de Belas Artes no Rio de Janeiro, pela Ècole de Beaux Arts de Paris e fez sua primeira mostra individual no Brasil em 1892.

De forma trágica, a vida do artista foi interrompida precocemente quando, aos 44 anos, foi morto por José de Almeida Sampaio, seu primo e marido de Maria Laura do Amaral Gurgel, com quem o pintor manteve um caso amoroso por vários anos. Entre suas obras, destacam-se: As Lavadeiras (1875), Caipira Picando Fumo (1893), Amolação Interrompida (1894), A Partida da Monção (1894) e Violeiro (1899).

Conheça a História da Arte Brasileira! Mais informações AQUI!!

...Shares
Publicado em Noticias | Com a tag , , | Deixar um comentário

10 dos quadros brasileiros mais caros do país

10. “Bandeirinhas com Mastros” – R$ 2 milhões

Artista: Alfredo VolpiTécnica: Têmpera sobre tela. Tamanho: 67,5cm x 103cmAno: 1970Venda: Foi arrematado em um leilão em novembro de 2014 pela Galeria Canvas em São Paulo.

masquevidadigital.blogspot.mx

Artista: Alfredo Volpi

Técnica: Têmpera sobre tela.

Tamanho: 67,5cm x 103cm

Ano: 1970

Venda: Foi arrematado em um leilão em novembro de 2014 pela Galeria Canvas em São Paulo.

9. “Parede com incisões à La Fontana II” – R$ 2,72 milhões

Artista: Adriana VarejãoTécnica: Oléo sobre tela, poliuretano sobre metal e madeira.Tamanho: 180cm x 250cmAno: 2001Venda: A tela foi vendida em 2011 por 1,1 milhão de libras, na época 2,72 milhões de reais.

Artista: Adriana Varejão

Técnica: Oléo sobre tela, poliuretano sobre metal e madeira.

Tamanho: 180cm x 250cm

Ano: 2001

Venda: A tela foi vendida em 2011 por 1,1 milhão de libras, na época 2,72 milhões de reais.

8. “Meninos soltando pipas” – R$ 2,9 milhões

Artista: Cândido PortinariTécnica: Óleo sobre tela.Tamanho: 60cm x 74cm Ano: 1947Venda: A tela foi vendida por R$ 2,9 milhões (1,4 milhão de dólares) em leilão em Nova York.

Artista: Cândido Portinari

Técnica: Óleo sobre tela.

Tamanho: 60cm x 74cm

Ano: 1947

Venda: A tela foi vendida por R$ 2,9 milhões (1,4 milhão de dólares) em leilão em Nova York.

7. “Sol sobre paisagem” – R$ 3,5 milhões

Artista: Antônio BandeiraAno: 1966Venda: O conjunto de três telas foi adquirido por um comprador anônimo em 2010.

Artista: Antônio Bandeira

Ano: 1966

Venda: O conjunto de três telas foi adquirido por um comprador anônimo em 2010.

6. “Meu Limão” – R$ 4,4 milhões

Artista: Beatriz Milhazes Técnica: Tinta acrílica sobre telas.Tamanho: 248.9cm x 318.8cmAno: 2000Venda: O quadro é atualmente a obra mais cara vendida em um leilão internacional de um artista brasileiro vivo. Veja aqui.

Artista: Beatriz Milhazes

Técnica: Tinta acrílica sobre telas.

Tamanho: 248.9cm x 318.8cm

Ano: 2000

Venda: O quadro é atualmente a obra mais cara vendida em um leilão internacional de um artista brasileiro vivo. Veja aqui.

5. “Construção sobre Fundo Negro” – R$ 5,2 milhões

Artista: Milton Dacosta Técnica: Óleo sobre tela.Tamanho: 73cm x 92cmAno: 1956Venda: A obra foi vendida em agosto desse ano em um leilão em São Paulo.

Artista: Milton Dacosta

Técnica: Óleo sobre tela.

Tamanho: 73cm x 92cm

Ano: 1956

Venda: A obra foi vendida em agosto desse ano em um leilão em São Paulo.

4. “Superfície Modulada nº4” – R$ 5,3 milhões

Artista: Lygia Clark Técnica: Tinta industrial sobre madeira.Tamanho: 42cm x 115cmAno: 1958Venda: O quadro é o mais caro da artista e foi vendido em 2013, também em São Paulo.

Artista: Lygia Clark

Técnica: Tinta industrial sobre madeira.

Tamanho: 42cm x 115cm

Ano: 1958

Venda: O quadro é o mais caro da artista e foi vendido em 2013, também em São Paulo.

3. “Vaso de Flores” – R$ 5,7 milhões

Artista: Alberto da Veiga Guignard Técnica: Óleo sobre tela.Tamanho: 55cm x 44,5cmAno: Década de 1930. Assinado inferior direito e no verso.Venda: É o quadro brasileiro mais caro vendido em um leilão. E também foi comercializado recentemente, em agosto de 2015.

Artista: Alberto da Veiga Guignard

Técnica: Óleo sobre tela.

Tamanho: 55cm x 44,5cm

Ano: Década de 1930. Assinado inferior direito e no verso.

Venda: É o quadro brasileiro mais caro vendido em um leilão. E também foi comercializado recentemente, em agosto de 2015.

2. “O Lavrador de Café” – US$ 5,5 milhões

Artista: Cândido PortinariTécnica: Óleo Sobre Tela.Tamanho: 100cm × 81cmAno: 1939Venda: Um dos mais famosos quadros brasileiro, "O Lavrador de Café" não tem um preço definido, mas o colecionador e proprietário da galeria carioca Bolsa de Artes, Jones Bergamin, estima que o quadro que está no MASP, em São Paulo, ficaria em torno de R$ 10 milhões.

Artista: Cândido Portinari

Técnica: Óleo Sobre Tela.

Tamanho: 100cm × 81cm

Ano: 1939

Venda: Um dos mais famosos quadros brasileiro, “O Lavrador de Café” não tem um preço definido, mas o colecionador e proprietário da galeria carioca Bolsa de Artes, Jones Bergamin, estima que o quadro que está no MASP, em São Paulo, ficaria em torno de R$ 10 milhões.

1. Abaporu – R$ 30 milhões

Artista: Tarsila do AmaralTécnica: Óleo sobre tela.Tamanho: 85cm x 73cmAno: 1929Venda: Outra obra que não tem um valor fixado, mas uma salgada estimativa é o Abaporu. Ele custaria em torno de R$ 30 milhões, segundo o especialista em obras modernistas Ricardo Camargo.

Técnica: Óleo sobre tela.

Tamanho: 85cm x 73cm

Ano: 1929

Venda: Outra obra que não tem um valor fixado, mas uma salgada estimativa é o Abaporu. Ele custaria em torno de R$ 30 milhões, segundo o especialista em obras modernistas Ricardo Camargo.

Fonte: https://www.buzzfeed.com

Conheça a História da Arte Brtasileira, venha na palestra gratuita sobre o curso dia 28/02, às 19h, com o professor Filipe Masiero.

Mais informações: https://goo.gl/LcRQSb

...Shares
Publicado em Noticias | Com a tag , , , , , | Deixar um comentário

Mulher Maravilha: Amazona • Heroína • Ícone

Após décadas sendo eclipsada por Batman, Superman e outros personagens masculinos no universo dos super-heróis, a Mulher Maravilha ressurgiu triunfante em 2017 com um bem sucedido filme solo – o mais bem sucedido do universo compartilhado baseado em personagens da DC Comics no cinema até agora, e com ‘Professor Marston & The Wonder Women‘, filme que conta a história do doutor William Moulton Marston, seu criador.

Na esteira desse sucesso, a editora Leya lança o livro “Mulher Maravilha: Amazona, Heroina, Ícone”, de autoria de Robert Greenberger, profissional da indústria americana de quadrinhos que ocupou variadas posições editoriais e executivas na DC e na Marvel ao longo de décadas.

As páginas do livro são recheadas de belas ilustrações de pesos pesados dos quadrinhos como George Perez, Alex Ross, Brian Bolland e Jim Lee, bem como de outros artistas menos conhecidos.  O texto de Greenberger é fluido, usando elementos temáticos ao invés de cronológicos para guiar o leitor através de sete décadas de histórias. Somos apresentados a uma galeria de curiosos e bizarros vilões, bem como amigos e aliados.

Fãs de longa data certamente apreciarão a introdução escrita pelo legendário artista George Perez, que não apenas foi responsável pelos desenhos da mega saga ‘Crise nas Infinitas Terras’, mas que também recriou a personagem na década de 80, simplificando sua complexa origem e reforçando os elementos mitológicos presentes na história da Mulher Maravilha.

O livro também comenta sem restrições a peculiar vida pessoal e interesses do criador da Mulher Maravilha. Psicólogo, advogado e inventor, o doutor William Moulton Marston possuía ideais e interesses um tanto ousados. Um feminista fervoroso, adepto de sadomasoquismo e bondage. Defensor de estilos de vida alternativos, Marston vivia um relacionamento complexo com duas mulheres – sua esposa Elizabeth Holloway Marston, e Olive Byrne.

Em 1941, Marston projetou muitas de suas ideias e opiniões na criação de Mulher Maravilha. Para ele, a personagem era uma espécie de “propaganda psicológica de um novo tipo de mulher que deve mudar o mundo”. De certa forma, a “propaganda psicológica” do doutor Marston funcionou extremamente bem, considerando-se o ícone feminista no qual a personagem se tornou.

Gloria Steinem

Falando em feminismo, talvez uma das maiores falhas do livro seja mencionar apenas brevemente Gloria Steinem, jornalista e ativista política pelos direitos das mulheres que teve um papel importante na história da personagem em um período durante os anos 70 em que a DC, em uma tentativa de modernizar a Mulher Maravilha, a transformou em uma lutadora de artes marciais, despindo-a de seus poderes e icônico uniforme. Steinem, uma admiradora da personagem, criticou abertamente a decisão da DC e pediu um retorno as origens. Graças a pressão de Steinem e de uma base de fãs cada vez menor, a personagem voltou ao seu uniforme e aos poderes que a tornavam uma personagem capaz de enfrentar o Superman.

Devido á ênfase em sua encarnação nos quadrinhos, o livro não discute com profundidade como a personagem influenciou a representação das mulheres em filmes, televisão e cultura popular em geral. Mesmo a icônica série televisiva exibida entre 1975-1976 estrelando Linda Carter recebe pouquíssima menção.

Mas tudo considerado, as falhas mencionadas não mudam o fato de que este é um belíssimo livro que certamente agradará a novos e antigos fãs da personagem, e também aqueles que se interessam pela história dos quadrinhos. É ao mesmo tempo uma carta de amor à personagem e um estudo de uma heroína dos quadrinhos que, através de décadas, se transformou em um poderoso arquétipo.

...Shares
Publicado em Noticias | Com a tag , , , , , , , , , , , , | Deixar um comentário